As primeiras impressões da Nova Zelândia.

Olá pessoal!

Demorei mas vim escrever meu primeiro post sobre minha experiência aqui na Nova Zelândia, para ser mais exata na cidade de Auckland.

RooftopViewsA cidade é bem bonita tem vários lugares para conhecer, fico até perdida para onde ir, até porque a grana é curta né minha gente…

A moeda aqui é o dólar neozelandês, vale menos que o americano, mas não quer dizer nada porque aqui é um País bem caro!  Isso mesmo, nosso realzinho vale nada aqui. Hospedagem custa média de NZ$ 170 por semana, supermercado NZ$ 40 por semana, transporte eu gasto pouco porque vivo no centro e tento fazer tudo a pé, mas aqui é pago por trecho, o menor valor é NZ$ 2,50.

O inglês ensinado nas escolas é o britânico. Meu primeiro contato com a língua foi bem difícil, descobri que não falava nada em inglês, inclusive na escola fui parar no nível elementary (o básico), passei 2 semanas fiz prova e subi para o pré-intermediário, agora estou começando desenvolver bem o inglês. Minha escola é bem bacana, estou gostando.

O clima é agradável, porém as vezes louco, amanhece chovendo e a tarde aparece sol forte, por exemplo. A temperatura não caem muito, então conseguimos fazer tudo normalmente pela cidade.

Internet é uma coisa bem chata na minha opinião, aqui “não existe” internet ilimitada, os wifi free normalmente tem limite por dia, no caso minha operadora de telefone 500MGB por mês, ou seja abri o facebook no celular acabou.  Dificilmente você vai achar um estabelecimento com internet free e boa. Por isso não tenho conseguido postar muito aqui no blog. Para utilizar internet vou para a biblioteca pública que disponibiliza 1GB de internet por dia.

O trânsito é bem tranquilo, respeito aos sinais de trânsito é comum por aqui, por mais que não tenha carros nas vias, as pessoas esperam o sinal abrir para atravessarem, só vendo para crer.  A direção do carro é  mão inglesa, ou seja, tudo ao contrário, direção e vias.

Estou a 1 mês e 2 semanas aqui e estou amando vivenciar outras culturas, outra língua, outros sabores, outras amizades e um outro jeito de ver a vida..

See you guys!

 

Anúncios

Conceição do Ipitipoca – MG

Meu destino no Carnaval de 2016 foi Conceição do ibitipoca, cidadezinha situada no município de Lima Duarte, cerca de 90km Juiz de Fora.

Nesse carnaval quis fugir do agito de cidade grande, busquei algo mais natureza  e para descansar, e Ibitipoca me proporcionou isso.  No entanto, a cidade também tem seu Carnaval, ruas e bares cheios a noite ao som de reggae e tantos outros ritmos.

Fiquei no camping Ibitilua, paguei R$ 160,00 pelos 5 dias de Carnaval. Camping muito bem equipado e  bem localizado. Recomendo!

 

1º dia (sábado)

Conheci um grupo de mochileiros através do site Mochileiros.com que também estavam se organizando para ir à Ibitipoca, me juntei a eles e consegui carona em um dos carros.

A viagem durou umas quatro horas, chegamos próximo ao horário do almoço, como não dava mais tempo de ir ao Parque , resolvemos fazer um churrasco. Foi bem divertido, serviu para nos conhecermos.

12662726_1004830459564073_3142129956469788399_n

 

Gastos
Gasolina (ajuda de custo): R$ 70,

Pão de queijo (café da manhã, havia levado todinho): R$ 2,

Churrasco (ajuda): R$ 21,00

 

2º dia (domingo)

Neste dia acordamos bem cedo para ir ao parque. Decidimos fazer a trilha da Janela do Céu.
O caminho é longo e bem íngreme em algumas partes, no entanto, lindo demais. Uma vista bem panorâmica, com acesso a algumas grutas. Fui caminhando no meu ritmo aproveitando a vista.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Gruta

SAMSUNG CAMERA PICTURES

No caminho

SAMSUNG CAMERA PICTURES

No caminho

Ao chegar a tão esperada Janela do céu… estava lotada! Enfrentamos fila por cerca de 1 hora de espera, mas valeu a pena. Depois seguimos para a Cachoeirinha, uma queda de água linda se ver e revigorante.

No retorno, fizemos uma parada na Prainha.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Janela do Céu

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Cachoerinha

 

Gastos
Passagem Kombi (do centro até o parque) – R$ 5 cada trecho = R$ 10,

Pão de queijo (café da manhã, havia levado todinho): R$ 2,

Ingresso Parque (meia entrada): R$ 10,

Almoço: R$ 25,

 

3º dia (segunda-feira)

Neste dia fizemos o Circuito das Águas. É uma trilha bem bonita, não tão cansativa e com ótimos lugares para mergulho.

Fizemos a primeira parada no Lago das Miragens

Depois seguimos e fomos a Cachoeira dos Macacos

Passamos pelo Mirante, Gruta dos Fugitivos, Lago Negro.

Por último, o lago do espelho, uma espécie de praia. Bem relaxante.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Lago dos espelhos

À noite, curtimos um reggae que estava acontecendo na rua.

 

Gastos
Passagem Kombi (ida, o volta peguei carona): R$ 5,

Café da manhã: 7,

Ingresso Parque (meia entrada): R$ 10,

Mercado (cozinhei este dia): R$ 8,00

Pastéis com refrigerante (jantar): R$ 13,

 

4º dia (terça-feira)

Neste dia não conseguimos entrar no parque devido a lotação, então resolvemos fazer um outro passeio , para uma cachoeira que fica dentro de uma propriedade particular. Não era nada encantador, mas foi bem relaxante.

Depois retornamos para o camping para descansar já que o dia seguinte iriamos embora.

20160209_115250

 

Gastos
Passeio: R$ 30,

Café da manhã:  R$ 4,

Almoço: R$ 20,

Lanche: R$ 10,

Pastéis com refrigerante (jantar): R$ 13,

 

5º dia (quarta-feira)

Foi o dia da despedida. Retornei para o RJ encantada mais ainda com Minas.

SAMSUNG CAMERA PICTURES

Gastos totais

Gasolina (ajuda de custo): R$ 120,00

Pedágio (ajuda de custo): R$ 22,40

Hospedagem: R$ 160,00

Alimentação: R$ 160,00

Passeios: R$ 65,00

 

Total viagem: R$ 527,40

 

Dicas para acampar pela primeira vez

Na minha viagem de Carnaval eu acampei, nunca havia feito antes, mas decidi passar pela experiência. Confesso que fiquei meio receosa, mas o camping escolhido tinha uma ótima infraestrutura o que tornou a experiência maravilhosa.

Abaixo segue as dicas para tornar sua experiência ótima, assim como a minha foi.

1. Escolha do camping– Para sua primeira experiência em acampamentos sugerimos fortemente que você escolha um camping com uma estrutura básica e de preferência que não fique em local completamente isolado para que você não tenha problemas caso esqueça alguma coisa realmente importante ou tiver qualquer problema inesperado. Avalie também se você quer cozinhar, se o camping tem cozinha ou restaurante próximo. Acampar não é necessariamente ficar no ócio (mas pode ser, se você quiser!),  por isso busque um camping que tenha opções de lazer que você curta!

2. Escolha do local– Na hora que você chegar ao camping provavelmente existirá uma infinidade de locais aonde você pode colocar sua barraca. Antes de armar procure um local plano e uniforme, sem galhos e raízes no chão. Procure colocar debaixo de uma árvore, para aproveitar um pouco da sombra, mas olhe antes se não é uma árvore frutífera, se não tem uma jaca para cair na sua barraca ou se não tem frutos coloridos que possam manchar ela. Confira também o estado da árvore em si e dos galhos, veja se não estão podres e se correm o risco de cair. Se você ficar em dúvida a dica é simples: pergunte para o dono ou administrador do camping qual é o melhor local, afinal quem está sempre lá sabe onde pega sol, onde alaga, onde tem formigueiros, essas coisas. Não tenha vergonha em pedir ajuda também para outros campistas.SAM_0977.JPG

 

3. Previsão do tempo – Quando você vai acampar pela primeira vez o ideal é que você não precise encarar chuvas, ventos ou temporais. Claro, alguma hora vai acontecer de você acampar com chuva, é inevitável. Se o previsão não for favorável invista numa barraca impermeável.

4. Compra da primeira Barraca– Quando você estiver acampado sua barraca é sua casa,  ela é sua zona de conforto e tem a função de abrigar e proteger você. Mas saiba que nem todas as barracas fazem isso, há todo tipo de barraca inclusive aquelas que deixam a chuva passar pela costura e tecidos (sim, nem todas barracas são realmente impermeáveis!). Por isso antes de comprar sua barraca informe-se! A qualidade está diretamente relacionada ao valor e fique certo que ao comprar a barraca mais barata você com certeza não estará facilitando sua primeira experiência.

5. Montagem da Barraca– Uma dica super importante é você montar sua barraca em casa, antes de levar ela para o acampamento. Assim você já vai se familiarizando com o equipamento e aproveita para conferir se tudo está certo. Se, mesmo montando sua barraca antes, você tiver dificuldades quando chegar ao camping, não se desespere. Faças as coisas com calma e se precisar de ajuda, basta olhar com olhar de “cachorro pidão” para algum campista que já tenha sua barraca montada. Qualquer campista experiente vai ter prazer em ajudar alguém que está começando. E essa é sempre uma ocasião para já fazer novas amizades com os campistas vizinhos.
Por fim, não importa se você é iniciante ou um campista experiente, monte sua barraca direito! Não jogue o sobreteto por cima somente, faça isso com cuidado, prenda todos os pontos de fixação, coloque todos esticadores (cordinhas) e todos os espeques. Sua barraca é o seu lar, a trate com cuidado!

camping1

6. Barraca fechada– Uma dica essencial para quem está acampando pela primeira vez é saber que os mosquitos não terão piedade e se você deixar sua barraca aberta eles vão entrar e transformar sua noite em um inferno. A dica (regra) é simples, básica e válida para sempre: deixe sua barraca (ou a tela de mosquiteiro) sempre fechada! É uma atitude simples: entrou fecha, saiu fecha. Isso evita, além da entrada dos mosquitos, problemas com outros animais (aranhas, formigas, grilos, mariposas) alguns inclusive que podem ter consequências mais sérias.

7. Lona plástica – Muitas pessoas gostam de levar lonas para o acampamento, para colocar sobre a barraca como um toldo extra ou sob o piso, com medo que e água entre pelo chão. Levar uma lona pode ser interessante, se você vai acampar por mais tempo e se está indo com campistas mais experientes que podem ajudar na montagem de um toldo. Se você vai acampar apenas por dois ou três dias, com previsão de bom tempo e com uma barraca que seja realmente resistente à chuva, dispense o toldo nessa primeira experiência. Será uma coisa a menos para você se preocupar.

8. Papel Higiênico – Se você ainda não costuma acampar talvez não saiba que a maioria dos campings não disponibiliza papel higiênico para os campistas! Isso mesmo, cada campista precisa levar seu próprio papel. Pode parecer constrangedor, mas não é, é normal. Na hora de ir acampar leve um rolo (ou mais dependendo de quantas pessoas e quanto tempo) e coloque-o dentro de uma bolsinha ou necessaire, daí quando precisar ir ao banheiro é só passar a mão na bolsinha do papel higiênico e pronto, tudo resolvido! Vale comentar que em um acampamento o papel higiênico pode ser útil em vários momentos como para limpar ou secar coisas na barraca.

9. Extensão elétrica– Se você vai acampar em um local que ainda não conhece e você dependerá e energia elétrica para algum equipamento na barraca é bom se organizar. A grande maioria dos campings disponibiliza tomadas para os campistas, mas elas nem sempre estarão perto do local onde você quer ou pode colocar sua barraca. Então, se você realmente precisar de tomadas junto à barraca aconselhamos fortemente levar uma extensão de alguns (vários) metros. Leve também um benjamin (tê) para colocar na tomada se ela já estiver em uso por outra pessoa.

10. Lanterna–  A lanterna será útil sempre que começar a escurecer. Nem todos campings possuem iluminação na área de barracas, ou nem sempre sua barraca vai estar ao lado dela.
Se for investir em uma lanterna opte por uma que possa ser usada na cabeça. Isso torna as coisas mais práticas. Se possível leve até duas, uma de cabeça e uma de mão (para ficar sempre em um bolso da barraca de fácil acesso).

20-Dicas-para-acampar-pela-primeira-vez5

11. Isolante térmico– Uma coisa super importante e que muitos iniciantes não sabem é que mesmo no verão a temperatura pode cair durante a noite, especialmente a temperatura do solo. Se você prefere um pouco de conforto em vez do isolante você pode optar por um colchão inflável. Que também fará um o isolamento térmico, mas dando um pouco mais de conforto.

12. Repelente– É um item indispensável em qualquer acampamento (exceto em alguns locais no inverno). Os mosquitos não estão de brincadeira e ficam alvoraçados com a presença de sangue de campistas novatos. Coloque um repelente no seu nécessaire e adicione esse item à lista de itens fundamentais em qualquer acampamento.

13. Kit de primeiros socorros –Outro item essencial para levar sempre, inclusive em todas as suas aventuras, é um Kit de primeiros socorros.

14. Sacos plásticos– Sacos plásticos sempre são úteis para mil funcionalidades: para guardar seus lixo, para organizar suas roupas na mochila, para ensacar suas coisas e evitar que molhem, para separar roupas sujas, enfim leve sempre alguns vários sacos plásticos. Antes de separar eles se certifique de que não estão furados e se puder pegue aqueles que são um pouco mais resistentes e que não rasgam tão facilmente

15. Cordialidade e respeito – Dentro de um camping é normal que as pessoas sejam mais cordiais, solícitas e amigáveis. A cordialidade é um dos valores que está associado aos campistas. Nos campings as pessoas se ajudam, conversam umas com as outras, desejam bom dia. Às vezes a cordialidade inclusive vai além e se transforma em amizade. É bastante comum depois de alguns dias você virar amigo de infância de seus vizinhos de barraca.Pratique a cordialidade, sorria, seja simpático ajude e se deixe ajudar.

Camping1 (1)

No mais, segue um último conselho:

Leve um espírito aventureiro, faça tudo com coração, respire a natureza, durma ao som da natureza, preserve e respeite a natureza. E principalmente volte a fazer mais vezes!”

 

 

 

Dicas extraídas do site fuiacampar.com.br

Onde encontrar o câmbio mais barato?

Olá pessoal!

Quase acabando o mês e lembrei que ainda não tinha postado aqui, minha intenção é fazer 1 post, no mínimo, por mês, mas a vida anda corrida, muito trabalho, planejamentos e etc. Em breve conto mais.

Mas vamos ao que interessa… O câmbio mais em conta!
Com a crise, moedas em alta, o jeito é cotar até achar o câmbio mais barato, e digo centavos fazem muita diferença no montante.

shutterstock_335660924

Trago abaixo alguns sites que utilizo para realizar cotação:

1) Ranking do VET Banco Central – https://www3.bcb.gov.br/rex/vet/index.asp

“O Valor Efetivo Total (VET) considera a taxa de câmbio, o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e as tarifas eventualmente cobradas numa operação de câmbio. Ele é expresso em reais por unidade de moeda estrangeira (exemplo: R$ 2,00 por dólar dos EUA). O VET fornece ao cliente condições de comparar os preços disponíveis no mercado para compra e venda de moeda estrangeira.”

Vale a pena entrar no site e dar uma conferida se a casa de câmbio que você que conhece está entre as mais baratas.

2) Jooin – http://jooin.com.br/

É um comparador de casas de câmbio. Você pode selecionar seu estado e a moeda que quer comprar (se em espécie ou cartão pré-pago). A desvantagem é que mostra pouquíssimas casas de câmbio.

3) Exchange Money – http://exchangemoney.com.br/

Funciona nos mesmos moldes no Jooin, mas tem mais casas de câmbio cadastradas. A desvantagem é que só faz o comparativo de alguns estados e cidades.

4) Melhor Câmbio – https://www.melhorcambio.com/

Além da comparação, o site dá a opção de “leilão virtual”. Você diz quanto de moeda quer comprar e quanto gostaria de pagar. Eles repassam a informação para as casas de câmbio e se alguma topar, você compra com o desconto. No meu caso, eu sempre ligo e peço desconto. 99,99% das vezes consigo (nem que seja um centavo mais barato). A vantagem do site é que você economiza o dinheiro das ligações e também economiza tempo, já que de uma única vez todas as casas de câmbio recebem a sua proposta.

 

Espero poder lhe ajudar com essas informações.

Caldas Country Show

caldas-country-2014-4

Hoje vou contar sobre esse evento, o maior festival de música sertaneja que vem crescendo a cada ano. O evento é realizado na cidade de Caldas Novas no Estado de Goiás e recebe pessoas do Brasil inteiro, sim Brasil inteiro mesmo, dividi táxi com meninos que estavam vindo do Pará, pegaram 3 conexões para chegar. Uffa! Pra vocês verem como o evento é muito bem falado pelos quatros cantos do País.

  • O que é o evento?

É um festival de música sertaneja, digo o maior, pois reúne os grandes artistas do segmento, além de um trio elétrico com o melhor do axé e nos intervalos os melhores DJ’s.   São no total 30 horas de festa, num esquema open bar para ninguém colocar defeito. Eu achei o evento muito bem organizado.

Para ir ao evento é necessário adquirir ingresso, são vendido 3 tipos de ingressos: Extra Vip, Prime e Mesas.

mapa-caldas-c.-show

Eu fui de Extra Vip e curtir bastante o evento, paguei R$ 290,00 pelo passaporte pelos 2 dias.

*Os valores dos ingressos  alteram a cada ano, valor referente ao ano 2015.

  • Onde acontece?

O evento acontece na cidade de Caldas Novas, no espaço Caldas Park Show, é uns 10 minutos do cen20151102_022055tro da cidade de veículo. Nos dias do evento existem opções de van e ônibus oficial do evento que faz o

traslado até o espaço.

A van custa R$ 10,00 o trajeto
O táxi custa em média R$ 35,00 a corrida

O ônibus oficial custa R$ 50,00 os 2 dias, ida e volta

*Valores base 2015, pode ser que nos próximos anos haja reajuste.

  • Como chegar?

Caldas Novas está a 160 km de distância de Goiânia e a 316 km de distância de Brasília. Você tem a opção de desembarcar em um dos 2 aeroportos, embora Caldas Novas tenha aeroporto, os voos não são frequentes e é o dobro do valor.

De Brasília: Se você optar chegar por Brasília, tem que pegar um táxi do aeroporto até a rodoviária interestadual, uns 15 minutos de táxi, não tem opção de ônibus. E na rodoviária tem o ônibus da empresa AlfaLuz que te leva até Caldas Novas. São 5 horas de viagem e custa R$ 62,00.

Atenção aos horários, pois não são frequentes, o último costuma ser às 20h.

De Goiânia: Se você optar chegar por Goiânia, tem que pegar um táxi para a rodoviária, uns 15 minutos, mas tem a opção de ônibus, se informe no aeroporto. Na rodoviária tem as empresas Estrela e Paraúna que te levam à Caldas Novas. São 3 horas de viagem e custa R$ 32,00.

Atenção aos horários, pois não são frequentes, o último costuma ser às 20h.

Minha experiência: Eu fui por Goiânia cheguei às 22h e não havia mais ônibus com destino a Caldas Novas. A solução foi ir de táxi, a minha sorte é que encontrei 2 meninos que estava na mesma situação que eu, daí dividimos, a corrida custou R$ 300,00 (chorado!).

Ah! Essas empresas que fazem o trajeto não vendem passagem online, somente no balcão. Então atenção, tente casar voo x ônibus.

  • Além do evento, existe alguma coisa na cidade?

Sim! A cidade de Caldas é conhecida pelas suas águas termais e seus parques aquáticos. Durante o dia é possível relaxar nas piscinas e curtir a maior estância hidrotermal do mundo.

FOTO-SPLASH-EXTENDIDA

Vale pena conhecer!

Obs. Todos os valores mencionados são referente ao ano de 2015.

Quero viajar para fora, mas não sei falar outra língua. E agora?

Outras-linguas

Se você acha que não poderá conhecer muitos lugares se não saber falar outras línguas está muito enganado. Claro que saber falar inglês ajuda muito, mas viajei para outros países com meu inglês básico e me virando no portunhol sem problemas.

  • Línguas semelhantes

Existem línguas bem parecidas com o português, como o espanhol e o Italiano. Sei que não é a mesma coisa, mas se falado pausadamente, numa conversa, é possível entender a maioria das palavras. E se não entender, pergunte novamente, use a linguagem de gestos, no máximo isso renderá boas risadas.

  • Usando “Portunhol”

O portunhol é a mistura do português com o espanhol, é o clássico “enrolation”. Ao viajar pehellola América do Sul, principalmente, você pode usar sem problemas, eles vão te entender de boa.

Eu quando fiz o mochilão, consegui me comunicar com os gringos usando o portunhol e o meu inglês
basicão, sem problemas, em geral, os gringos são gente boa e se esforçam para nos entender.

  • Palavras básicas

Aprenda algumas frases básicas de sobrevivência na língua do País que irá visitar, como:

Olá / Tchau

Bom dia / Boa tarde / Boa noite

Obrigada / De nada / Por favor

Sim / Não

Com licença / Desculpa

Quanto custa? / A conta por favor

Não falo … (por exemplo inglês, francês) / Você fala português?

Onde fica…? / Direções: esquerda, direita

Como não dá pra memorizar todo o vocabulário, o resto terá que ser por gestos, que todo mundo entende.

Existem também vários aplicativos para smartphones que poderão servir como o seu tradutor particular. Provavelmente o mais popular e completo é o Google Translate, além de ser gratuito.

O mais importante é não ter medo de errar. Às vezes esquecemos que passamos dois anos de nossas vidas, quando bebês, sem saber falar e mesmo assim conseguíamos nos comunicar. Use as mesmas táticas que usava no passado, poucas palavras e gestos, e vá viajar.

No mais, viajar não é um bicho de sete cabeças e a maior parte dos lugares que visitar as pessoas locais farão o possível pra te entender. Se joga!!

HELLO in eight different languages

Mulheres e mochileiras: Dicas simples de como manter seu mochilão leve e completo

img_6612

Dispostas, aventureiras, de personalidade e cheias de histórias pra contar, mas mesmo assim com a equivocada fama de que precisam levar a casa nas costas, um drama sofrido por diversas mochileiras. O post de hoje é especial para mulheres mochileiras. Traz dicas práticas de como manter alguns itens relacionados a beleza que muitas mulheres consideram importantes, com recursos limitados e mochila leve.

Seu mochilão pode não considerar todos os itens da lista, pois é uma questão muito pessoal, mas possivelmente encontrará algo que ajude a montar o seu, seja você uma mochileira urbana ou rústica.

Higiene com menos peso

Fora os itens básicos de higiene pessoal, levar pinça, espelho pequeno, lenços de papel, acento para vaso sanitário e lenços umedecidos que são multiuso podem ser boas opções e que não pesam na mochila. Existe um produto chamado EcoLenço (um lenço que aumenta de tamanho ao ser molhado) que é bastante útil para mochileiras e ocupa pouco espaço.

Se estiver preocupada com os pés, existe um creme da Granado que ocupa menos espaço que um vidro de talco. Outra dica que vi entre mochileiras é areia para gato, vendida em sacos em petshops e que pode ser levada em pequena quantidade. Estas podem ser adicionadas as meias e calçados de um dia pro outro, eliminando umidade e fungos que causem odor.

Se você é das mochileiras adeptas da depilação, a dica é fazer pouco antes da viagem (se possível) com cera ou a laser que garantem um tempo maior sem preocupação. Se a viagem se estender, a gilete pode ser uma opção. Existe também uma cera fria prática com modelos para o corpo e o rosto.

Se o desodorante fizer parte do seu mochilão, opte pela versão rollon, pois são melhores para carregar pelo tamanho e por evitar derramamento, além de não terem problemas no aeroporto. Se quiser levar perfume, hidratantes mais perfumados protegem e nutrem a pele, dispensando o uso do perfume, reduzindo o peso.

Cabelos

Se você tem preocupação quanto a rebeldia dos cabelos, opte por fazer uma hidratação antes da viagem. Ela ajuda a manter os cabelos protegidos e sem ressecamentos por mais tempo. Ao longo da viagem, uma escova para pentear é suficiente.

Se o shampoo e condicionador forem difíceis para você retirar da mochila, opte por serem menores. Leve consigo sachês que acompanham tintas de cabelo e não ocupam quase nenhum espaço. Não parecem, mas rendem bastante, se bem utilizados. Pode-se optar também por potinhos de amostra grátis e hotel ou por uma quantidade menor em potes antes de viajar.

Para quem consegue encontrar, existem shampoos e condicionadores em embalagens de bisnagas que ocupam pouco espaço e são mais difíceis de derramar.

Mais tranças, menos trabalho. Mochileiras com tranças possuem menos dores de cabeça, além do que elas dão um charme diferente quando usadas com faixas e sofrem menos com os castigos provocados por ventanias e sujeiras. O cabelo se mantém desembaraçado e fácil de lavar.

hairstyle-280169_1280

Maquiagem suficiente

Existem mochileiras que se preocupam com maquiagem, mesmo quando estão viajando. Se você é uma delas, leve um necessaire básico. É suficiente para manter a beleza e ser destaque a noite, se assim desejar. O kit pode ser montado com um lápis de olho preto, um rímel e um gloss. Estes itens podem transformar o cansaço pós-trilha em uma mulher renovada.

Se você gosta de causar maior impacto, a dica é um batom, preferencialmente claro. Se a escolha for rosa, pode servir como blush, economizando espaço. Se quiser ainda mais presença, opte pelo batom vermelho, indicado para viagens urbanas, e que por si só muda muito a aparência do rosto. Batons que funcionam como protetores labiais são mais indicados.

Se considerar o blush indispensável, ao menos opte por um líquido que rende espaço na bolsa. Só não esqueça que seu sorriso, gentileza, educação e simpatia deixarão no chinelo qualquer maquiagem bem produzida.

Unhas

Se você é do time de mochileiras preocupadas com as unhas bonitas, bem pintadas, sem descascar, etc, pode ter grandes dores de cabeça em uma viagem. Sendo assim a dica é simples: apare bem e lixem as unhas antes da viagem e não use esmaltes.

Na bolsa, leve apenas um alicate e uma lixa. Ocupando pouco espaço por ser pequeno. Se quiser, inclua um creme nutritivo para unhas, que mantém as unhas e cutículas hidratadas.

Se achar o esmalte indispensável, opte pelo transparente e use lenços removedores de esmalte para retirar com bastante facilidade. Nada de acetonas, os potes ocupam mais espaço e vazam facilmente.

Sem-título2

Cuidados com a pele

O protetor solar é um grande aliado de qualquer pessoa, mochileiros e mochileiras, pois além da proteção contra o sol, mantém a pele hidratada. A opção de protetor com base ajuda a manter a pele mais uniforme. A manteiga de cacau também é muito importante e além de proteger os lábios, pode ser utilizada próxima ao nariz quando há ressecamento ou rinite.

Se sua pele é mais sensível ao ressecamento, um lenço umedecido é a solução. Em casos mais avançados ou climas que exijam, a pomada Bepantol é uma excelente opção para pele ressecada e/ou rachada.

Sente falta do esfoliante? Use a técnica dos sachês de açúcar conhecida entre muitas mochileiras. Basta misturá-los com seu creme hidratante e aplicar.

Roupas

Para facilitar, opte por roupas leves, que secam rápido, com cores neutras e lisas, e que combinem entre si. Para os pés, um calçado confortável para caminhadas, um chinelo e uma sandália para usar a noite. Entre viajantes é normal ter poucas peças de roupas e ninguém repara nisso.

Para longas caminhadas, use calcinhas mais confortáveis. A dica é utilizar calcinhas-cuecas, similares as boxers masculinas. Um top também é recomendado. Se usa sutiã, escolha os lisos e com alças largas, se possível com menor número de apetrechos e sem aros.

O short é um dos maiores coringas para mochileiras em viagens. Levar shortinho, mesmo que para locais frios, é sempre aconselhado. São híbridos, uma vez que podem ser úteis quando mudar para outros climas; são bem combinados com calças legging; e ocupam pouco espaço.

Vestidos também são muito bem vindos. Opte pelos modelos mais simples e leves, que podem ser uma opção ao longo do dia, como em festas de forma prática.

Acessórios

Ah, os penduricalhos! Estes fazem diferença em seu jeito único e podem mostrar sua personalidade mais do que maiores quantidades de roupas e maquiagens. Tente não exagerar nos acessórios – uma pulseira, um colar e um ou dois brincos em geral são suficientes.

A dica maior, mesmo para meninas que não possuem o hábito, é utilizar lenços, echarpes e headwear. Eles podem ser utilizados para diferentes funções, tanto por vaidade, quanto por proteção, e podem mudar totalmente o visual, além de serem leves e nada espaçosos.

Backpacker Walking on Trail --- Image by © Anthony West/Corbis


Mesmo com todas as dicas, lembre-se que o importante é se sentir bem, independente do que impõe a indústria da moda ou o machismo existente na sociedade. Leve o que for melhor para você e sinta-se bem. Só não esqueça que empanturrar a mochila pode ser uma dor de cabeça (e de ombros) desnecessária quando estiver na estrada.

*Texto escrito por Bernardo Lima, retirado do blog Instinto Viajante.